Amebíase

Infecção produzida pelo protozoário Endamoeba histolica que causa a disenteria amebiana e, algumas vezes, quando atinge o fígado, o abscesso amebiano.
O microrganismo causador da disenteria amebiana pode ser veiculado por frutas, verduras, água, moscas e baratas.
A disenteria amebiana caracteriza-se por uma diarréia progressiva, que avança durante três ou quatro dias provocando fraqueza, acompanhada de náuseas e vômitos. Dificilmente há febre.
Os sintomas podem ser benignos provocando apenas fadiga e depressão. Mas podem ser graves produzindo náuseas, falta de apetite, flatulência e dores abdominais.
O protozoário resiste a baixas temperaturas e ao cloro nas concentrações na água potável. Quando ingerido, o microrganismo invade o corpo na forma de pequenos cistos.
No cólon, as amebas atingem as mucosas produzindo abscessos. Esses microrganismos podem viver durante meses no intestino sem que sejam percebidos, o que faz com que as lesões possam estender-se antes dos sintomas serem evidenciados.
A disenteria pode voltar a intervalos nos quais o paciente sofre problemas intestinais. O prolongamento da infecção pode causar anemia e um emagrecimento e enfraquecimento profundos. Durante a diarréia poderá haver excreção de sangue, vômitos, prostração e dor do lado direito do abdome, sem o surgimento de febre.
A doença tem recuperação lenta e pode tornar-se crônica. Se a cura não for bem feita os microrganismos poderão invadir o fígado e os pulmões, provocando abscessos. Para o tratamento, podem ser usadas as seguintes drogas, com resultados bastantes satisfatórios: emetina, iodo, terramicina, compostos essenciais.
O diagnóstico da doença deve ser feito através do exame de fezes ao microscópio. Tal exame torna-se útil, sobretudo, para que a enfermidade seja identificada como amebíase já que os sintomas da disenteria amebiana podem ser confundidos com os da disenteria bacilar, por exemplo.
Quanto ao abscesso amebiano do fígado, os sintomas são dor e febre irregular. As amebas do intestino atingem o fígado, onde produzem o abscesso. A maioria dos portadores de lesões hepáticas não sofrem de disenteria. A doença pode ser tratada mediante processos cirúrgicos e emetina.
A ameba é um animal protozoário, rizópode, da ordem dos amebinos, dos gêneros Amoeba Ehremb., Endamoeba Leidy, etc. Locomove-se e alimenta-se por meio de pseudópodes. As amebas são de vida livre, comensais ou parasitas.
O termo vem do grego amoibé e significa “aquilo que muda”.

| voltar |