Arthropoda

O Filo ARTHROPODA ( do grego athros, articulação , + podos, pé ) contém a maioria dos animais conhecidos, aproximadamente 1.000.000 de espécies, sendo muitas delas extremamente abundantes em número de indivíduos. Inclui os caranguejos, camarões, cracas e outros crustáceos, os insetos, as aranhas, escorpiões, carrapatos e seus afins, os piolhos-de-cobra, e outros. O Filo é um dos mais importantes ecologicamente, pois domina todos os ecossistemas terrestres e aquáticos em número de espécies ou de indivíduos ou em ambos; a maior parte do movimentos de energia desses sistemas passa pelo corpo dos artrópodes.
A entomologia ( do grego entomon , inseto ) é a ciência que se ocupa de insetos. Devido ao numero e às muitas relações biológicos dos insetos, eles são de grande significação econômicas ; alguns são úteis e muitos são prejudiciais aos interesses do homem.

Os gafanhotos , moscas, piolhos, borboletas , besouros, abelhas e uma legião de pequenas criaturas semelhantes que constituem a Classe Insecta , perfazem mais de 900.000 espécies. São os animais mais abundantes e espalhados de todos os animais terrestres, sendo os mais importantes invertebrados que podem viver em ambientes secos e os úmidos capazes de voar. Estes hábitos tornaram-se possíveis graças ao revestimento quitinoso do corpo , que protege os órgãos internos contra danos e perdas de umidade, pelas extensões deste revestimento que formam as asas e pelo sistema de tubos traquiais que possibilitam aos insetos respirar ar . A capacidade de voar auxilia-os a encontrar alimentos parceiros e escapar de inimigos . Como seus ciclos vitais são geralmente curtos , eles podem multiplicar-se rapidamente em condições favoráveis . Os insetos abundam em todos os habitats, exceto no mar; vários tipos vivem em águas doces e salobras, no solo, em plantas de todos os tipos e sobre ou dentro de outros animais . Espécies diferentes comem todos os tipos e partes de plantas - raízes , caules ou folhas, sucos ou flores , sementes ou frutos, muitos insetos que visitam flores auxiliam na polinização. Outros utilizam os tecidos , líquidos e excreções de animais e os insetos necrófagos consomem plantas e animais mortos. Insetos parasitas vivem sobre ou dentro de outros animais e plantas , vivendo às suas custas, porem freqüentemente não matam seus hospedeiros . Os parasitóides depositam seus ovos nos ovos , nas larvas, nas pupas ou nos adultos de outros insetos e suas larvas consomem o hospedeiros emergiam depois como indivíduos de vida livre. Alguns insetos transmitem moléstias causadas por vírus, protozoários ou outros organismos - à plantas , animais e ao homem. Insetos por sua vez são comidos por outros insetos , aranhas , insetos e muitos vertebrados, de peixes a mamíferos . As espécies predadoras , parasitóides e parasitas são importantes para controlar o número de outros insetos.

Características Gerais da Classe Insecta.

A-) Divisão Corpórea: Encéfalo , tórax e abdome distintos; cabeça com um par de antenas ( exceto PROTURA ); peças bucais que variam dependendo da alimentação ( mastigar , sugar ou lamber ) consistindo de mandíbulas, maxilas e lábio ; tórax ( de três segmentos ) com três pares de pernas articuladas e geralmente dois , um, ou nenhum pares de asas ; abdome de 11 seguimentos ou menos , as partes terminais modificadas como genitália.

B-) Trato digestivo com intestino anterior , médio; boca com glândulas salivares.

C-) Coração delicado , com oxtíolos laterais e uma aorta anterior ; sem capilares ou veias; espaços do corpo funcionam como transporte.

D-) Respiração por traquéias ramificadas , revestidas por cutícula., as quais transportam oxigênio.

E-) Excreção por 2 a muitos túbulos , fixos na extremidade do intestino.

F-) Sistema nervoso com gânglios ligados ao cordão nevoso ventral duplo, com 1 par ou menos de gânglio por segmento ; órgãos sensitivos geralmente incluem olhos simples e compostos , receptores de olfato nas antenas e para paladar perto da boca pelos tácteis variados.

G-) Sexos separados ; fecundação interna ; ovos com muito vitelo e casca protetora; desenvolvimento com muitas mudas ou com vários estágios de ninfa e metamorfose gradual; ou com vários estágios de larva , uma pupa e metamorfose completa.

Aparelho Digestivo

As peças bucais circundam a cavidade bucal que se abre em uma faringe muscular delgada que se abre em um esôfago curto, unindo-se ao papo grande de parede fina . Embaixo do papo Há glândulas salivares pequenas , ramificadas, que se descarregam através de dutos que se abrem no lábio. Além do papa há uma moela revestida por placas. As partes precedentes constituem o intestino anterior . Segue-se o intestino médio ou estômago , ao qual se liga uma série de 6 cecos gástricos glandulares. O intestino posterior consiste em uma parte anterior afilada de uma porção média delgada e de um reto alargado que se abre no ânus.

O Sistema Circulatório

O coração delicado e tubular situa-se contra a parede dorsal do abdome em uma cavidade pericárdica rasa formada por um diafragma transversal delicado . O sangue penetra no coração através de pares de aberturas laterais diminutas ou ostíolos com válvulas e é bombeado para a frente por contração do coração, em uma aorta dorsal que se estende até a cabeça. Aí cai nos espaços do corpo ou hemocelos , entre os órgãos internos e move-se lentamente para trás , ao redor destes órgãos , finalmente retornando ao seio pericárdico . Algum sangue circula nas extremidades e nas nervuras das asas. O sistema é aberto ou lacunar como nos outros artrópodes , não havendo capilares ou veias. O plasma claro contém glóbulos sangüíneos incolores, que agem como fagócitos para retirar organismos estranhos . O sangue serve principalmente para transportar alimentos e resíduos, pois há um sistema respiratório separado.

Sistema Respiratório

Os estigmas pares ligam-se as traquéias, que se ramificam por todas as partes do corpo. Os ramos mais finos ou traquéolas transportam oxigênio para as células dos tecidos e delas removem dióxido de carbono. A parede traqueal é uma camada única de células finas que secretam um revestimento cuticular e os tubos maiores são reforçados por um fio espiralado para impedir seu colapso.

Sistema Excretor

A extremidade do intestino posterior está ligado certo número de túbulos de Malpighi, estes situam-se no homocelo e possuem suas extremidades livres fechadas. A parede do túbulo é composta de uma única camada de células grandes, que removem uréia, uratos e sais do sangue e descarregam no intestino.

Sistema Nervoso

O cérebro compreende três pares de gânglios, com nervos ligados aos demais órgãos. Há também um sistema simpático, como nos seres superiores. A rede fina de nervos periféricos situa-se embaixo da epiderme da parede do corpo.

Sistema Reprodutor

Os sexos são separados e mostram caracteres sexuais secundários nas partes terminais do abdome. No macho cada um dos testículos compreende uma série túbulos, acima do intestino, ligados a ductos deferentes, que se unem ao ducto ejaculatório, e abrem-se na extremidade do órgão copulador ( pênis ). Na fêmea, cada ovário é composto de vários tubos, os ovaríolos, que se ligam a um oviduto, este por sua vez une-se a vagina.

A Abelha

Um inseto social -> A abelha, Apis mellifera (ordem HYMENOPTERA; gr. hymen, membrana + pteron, asa). Ela tem peças bucais apropriadas para sugar e mastigar, passa por metamorfose completa (holometábola) desde a larva vermiforme, através de um estágio de pupa até o adulto voador; alimenta-se de néctar e pólen e vive socialmente em uma colônia permanente compreendendo muitos indivíduos de três castas. A rainha põe os ovos; os machos ou zangões servem apenas para fecundar novas rainhas; e os milhares de fêmeas estéreis ou operárias constróem e guardam a colmeia, fornecem alimento para todas as castas, atendem a rainha e criam as jovens. Abelhas silvestres vivem em cavidades naturais de árvores ou rochas, mas o homem domesticou parcialmente esta espécie e
abriga-as em colmeias de madeira. Cada colônia vive no meio de favos verticais de cera que contêm pequenas células laterais usadas para armazenar mel ou pólen e criar as jovens. Operárias coletam néctar líquido de flores; este é quimicamente alterado e armazenado como solução xaroposa de carboidratos a que nós chamamos mel. Elas coletam pólen ("pão de abelha") para fornecer proteínas para crescimento das larvas. Abelhas também coletam resinas de brotos de plantas as quais, como própoles, servem para cimentar e fechar fendas na colmeia contra vento e água. As operárias possuem ferrões para proteger a colônia e seu mel contra roubo por outros animais.

Estrutura e funções -> O corpo de uma abelha é coberto densamente por pêlos tendo barbas laterais curtas onde grãos de pólen alojam-se facilmente. As asas podem vibrar até até 400 vezes por segundo com as pontas movendo-se em um percurso em forma de ¥. Operárias são capazes de longos vôos, mesmo até 13 km.

As mandíbulas lisas das operárias servem para reunir o pólen e também modelar a cera na confecção dos favos. Os palpos maxilares e labiais formam um tubo redor da língua alongada, ou lábio; pelos movimentos da língua e uma ação bombeadora da faringe néctar líquido é dirigido para o grande papo, ou estômago de mel. Atrás do último há quatro lábios triangulares que formam uma válvula (válvula de mel) para impedir que o néctar ou mel entrem no estômago, exceto quando desejados para alimento. Ao intestino delgado ligam-se cerca de 100 túbulos de Malpighi e o grande reto serve para acumular fezes para descarregar através do ânus depois que a abelha deixa a colmeia.

O ferrão -> é um ovipositor modificado, presente somente em operárias e rainhas. Compreende uma bainha dorsal oca e dois dardos sulcados ao longo de suas superfícies internas, de modo que podem deslizar ao longo um do outro pela ação de músculos de suas bases internas, em cada lado, um palpo sensitivo picador e um grande saco de veneno mediano suprido por duas glândulas ácidas e uma glândula alcalina delgada. O líquido é injetado na ferida feita pelos dardos. Uma operária morre cerca de 2 dias depois de ter usado seu ferrão, pois todo o aparelho de veneno e algumas partes adjacentes são eliminados no processo. O ferrão alongado da rainha serve para combater rainhas rivais e pode ser usado mais que uma vez.

Glândulas do abdome produzem um odor quando as abelhas são perturbadas e podem servir para "marcar" novas fontes de alimento no campo. As abelhas têm bom sentido de orientação e cada uma retorna a sua própria colmeia. Se uma colmeia é removida, as operárias ausentes retornam ao antigo local; mas se confinadas dentro durante a mudança, tomam conhecimento da nova localização na saída e voltarão para ela.

Alimento -> Uma abelha operária, tendo descoberto um suprimento de alimento no campo, enche seu estômago de néctar, retorna para a colmeia e deposita o néctar recolhido ou alimenta as jovens abelhas. Quando a fonte dista menos de 100 metros, ela realiza uma "dança de roda" virando para a direita e para esquerda em rápida sucessão. Se a fonte for mais distante, ela executa uma dança diferente que informa outras abelhas da sua direção e distância, na qual, o desenho total lembra um ¥ comprimido, repetido várias vezes.

Outras abelhas tocam com suas antenas a operária durante a sua dança na escuridão da colmeia e depois conseguem encontrar a fonte de alimento seguindo as trilhas de cheiro do ar.

Reprodução -> O sistema reprodutor é vestigial nas operárias, mas altamente desenvolvido nas rainhas. Cerca de 7 dias após a eclosão, uma jovem rainha acasala-se, a grande altitude, com um zangão; os órgãos copuladores deste são então destacados para permanecer na bolsa genital dela até ser removido pelas operárias após seu retorno à colmeia. Os espermatozóides assim recebidos na espermatéca da rainha devem servir para todos os ovos fecundados que ela porá. Os ovários crescem, preenchendo o longo abdome e em um dia ou dois ela começa a pôr.

A Colmeia -> Cada favo em uma colmeia é uma lâmina vertical de cera, fixa no alto (e lados) de uma cavidade e coberta com células hexagonais. As células de operárias, onde as operárias são criadas e mel ou pólen é armazenado, são de cerca de 5 mm de diâmetro e as células dos zangões, de 6 mm de

diâmetro, servem para criar zangões e armazenamento. As células de rainhas, grandes, verticais, em forma de amendoim, abertas em baixo, são construídas ao longo das margens inferiores do favo para a criação de rainhas. A cera é secretada como pequenos flocos por glândulas em bolsas sob abdome das operárias. Uma vez formado, os favos são usados durante anos, as células sendo limpas e polidas para novo uso.

As abelhas conseguem ter "ar condicionado". No verão abanam as asas vigorosamente para ventilar a colmeia, para conservar a temperatura interna a cerca de 33o C para a incubação e para evaporar excesso de água do mel nas células abertas.

Curiosidades:

- Insetos voadores arrepiam os pelos para se aquecerem antes do vôo. Para tanto, movimentam os músculos depressa, o que eleva a temperatura do corpo e faz com que os músculos trabalhem melhor. Há muitos insetos voadores que, se não fizerem isso, não conseguem nem decolar.
- A cor do mel depende do tratamento a que é submetido depois de retirado do favo. Se é apenas separado e colocado num vidro, tende a ser ralo, transparente e de cor escura. Ás vezes o mel é deixado descansando. Quando isso ocorre, ele perde parte da sua água e forma cristais. O mel cristalizado é mais sólido e fica turvo, deixando de ser transparente. Isso também ocorre quando o mel é aquecido.

- Milhões de anos atrás, os ancestrais dos insetos provavelmente tinham muitas pernas. Com o passar do tempo, algumas delas foram adaptadas para alimentação. Atualmente os insetos têm peças muito complexas na boca. Foi isso que restou de suas pernas. Talvez daqui a 100 milhões de anos eles venham a ter duas pernas como nós. Só que, então, eles não serão mais insetos

Há séculos as abelhas são usadas como armas de guerra. Um dos casos mais antigos de que se tem notícia ocorreu em 908. A cidade inglesa de Chester estava sendo invadida pelos vikings. Numa última tentativa de rechaçar os invasores, o povo de Chester reuniu todas as suas colmeias e as lançou por sobre as muralhas da cidade. Vendo-se atacados por centenas de abelhas irritadas, os vikings foram forçados a bater em retirada. Colmeia de abelhas também foram usadas nas duas guerras mundiais e na guerra do Vietnã.

| voltar |