Cisticercose

DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES

O termo "vermes" não tem significado científico, mas ele é comumente usado para se referir a vários animais de corpo mole, comprido e fino. Provavelmente o grupo mais conhecido de vermes seja o dos vermes segmentados (filo Annelida), que inclui minhocas, vermes marinhos (como os poliquetos e as sanguessugas), e o dos vermes chatos (filo Platyhelminthes), que inclui os cestóides (como tênias) e os trematódios (como fascíolas). Os anelídeos têm corpo cilíndrico dividido em vários segmentos; um celoma (cavidade corpórea) ao redor do trato digestivo; sistema nervoso, circulatório e outros relativamente bem desenvolvidos. Os platelmintos (platis = chato, helmintos = vermes) possuem corpo achatado e não segmentado, sem celoma, e sistemas orgânicos comparativamente simples. Muitos dos platelmintos são parasitas. Por exemplo, a fascíola hepática infesta o gado e as ovelhas, a tênia do porco e o esquistossomo infestam o homem, causando doenças. De acordo com suas características, os platelmintos foram reunidos em três grandes classes : a dos Turbelários, a dos Trematódeos e a dos Cestódeos.
- Classe dos Turbelários : As planárias aquáticas e de terra úmida têm cerca de 1 cm de comprimento. Lembram lesmas de jardim, mas podem ser reconhecidas pela ausência de tentáculos na cabeça.

- Classe dos Trematódeos : O Schistosoma mansoni, causador da esquistossomose, pertence a essa classe. O macho mede de 1 a 1,5 cm e a fêmea chega a 2 cm, embora seja bem mais fina.

- Classe dos Cestódeos (Gr.: Kesros, cinto) : Todos os cestódeos são parasitas do homem e de outros animais. As solitárias, com até 15 cm de comprimento, são os cestódeos mais conhecidos.

AS DEFESAS

A instalação de uma doença depende não apenas do contato com o agente, mas também de uma falha nas defesas naturais do organismo. Entre essas defesas podemos citar os epitélios, as mucosas, o muco que reveste as cavidades, o suco gástrico, as lágrimas, a fagocitose e a produção de anticorpos e de interferon, que é uma defesa contra vírus.
Chamamos imunidade à capacidade que o indivíduo tem de estar isento de determinada moléstias devido à presença, no sangue, de anticorpos específicos contra essa doença. No caso das doenças causadas por vermes não há esse tipo de defesa natural do organismo, mas há algumas precauções, específicas para cada doença, a serem tomadas para que a pessoa se proteja da doença.

Sentindo algum dos sintomas específicos de cada doença, o correto é a procura imediata de um médico. No caso do sintoma ser caracterizado por coceiras intensas em certa parte do corpo, até que se procure um médico, evite ficar mechendo no local afetado.

SOLITÁRIA (TAENIA) CAUSADORA DE CISTICERCOSE

Faz parte do filo platelmintos, especificamente na classe d os cestódeos, que, comparados aos nematelmintos apresentam um grau de organização mais simples, pois neles o sistema digestivo é incompleto (com ausência de ânus) ou não existe.
A solitária costuma ser encontrada com mais facilidade na zona rural, pela falta de esgotos e de saneamento básico.

Tendo o corpo em forma de fita, as solitárias receberam dos cientistas o nome de Taenia, uma palavra de origem grega que se pode traduzir por "fita achatada".

A solitária do porco é a Taenia solium e a que vive no intestino do boi é a Taenia saginata.

A solitária adulta poderia ser talvez mais propriamente considerada não como um só indivíduo, mas como uma cadeia linear de indivíduos ligados uns aos outros e com funções específicas. Ela é hermafrodita e pode autofecundar-se.

A cabeça da solitária, chamada de escólex, tem espinhos e ventosas, de modo que ela se prende firmemente à parede do intestino de quem tem solitária. A escólex é mais de cem vezes menor que a solitária inteira, porém o seu poder de fixação é extremamente eficiente, não falhando nem mesmo quando o intestino se contorce em cólicas violentas provocadas por vermifugos. Nessas ocasiões a cadeia geralmente se parte e uma grande porção do verme é evacuada. Mas, permanecendo o indivíduo fixado e o pescoço, toda a cadeia se torna a reconstituir por reprodução assexuada.

Formado por centenas de anéis ou proglotes, o corpo de uma solitária é fino, mas pode atingir até 15 m de comprimento.

Dependendo de sua distância à cabeça da solitária, os anéis ou proglotes podem ser jovens, maduros e grávidos.

Os anéis grávidos são os da parte final do corpo e desprendem dos restantes, sendo eliminados juntamente com as fezes de quem esteja com solitária.

Uma tênia pode eliminar cerca de doze anéis diariamente, o que representa a eliminação de mais ou menos 72.000 ovos por dia!

A solitária é um animal que apresenta adaptações muito especializadas para a vida parasitária:

- ventosas, ganchos e espinhos : prende-se melhor ao intestino do hospedeiro.

- ausência total de intestino : maior espaço para ovos. O alimento é absorvido através da parede do corpo.

- enorme quantidade de ovos : maiores chances de dar alguns filhotes.

- crescimento contínuo de novos anéis : vida longa dentro do hospedeiro. Uma tênia pode viver até 15 anos.

Para que se saiba se a pessoa está com solitária, é necessário que se faça um exame de fezes.

O CICLO DA SOLITÁRIA NO PORCO

Na zona rural ou onde não se instalam fossas, há pessoas que lançam os detritos das privadas no próprio terreno ou em valas.
Se as pessoas estiverem com solitária, suas fezes podem conter milhares de ovos desses vermes.

Os porcos são mamíferos que fazem parte do grupo dos ungulados. Esse grupo é dividido em várias ordens de acordo com o número de dedos de cada animal . O porco faz parte da ordem dos artiodáctilos, por possuir quatro dedos. Eles são contaminados pela solitária quando estão a procura de comida em locais contaminados, podendo ingerir embriões de Taenia solium que estão no interior de uma casquinha. Esses embriões se originam dos milhares de ovos da solitária.

Depois de atravessar a parede do intestino do porco, os embriões das solitárias invadem os músculos dele e até mesmo o coração. Nesses locais ficam dentro de uma casquinha que parece uma bolha : é o cisticerco.

A carne de porco que está contaminada poderá ser utilizada para fazer lingüiça e até ser comida diretamente. Se essa carne não for bem cozida, os cisticercos não serão mortos.

Comendo carne contaminada pelos cisticercos, o homem adquire a solitária e será mais um a propagá-la por meio de suas fezes. Neste caso, o hospedeiro intermediário passa a ser o próprio homem. Os ovos se evoluem, então, para cisticercos que irão se instalar na musculatura e, até mesmo, no cérebro. Por isso, a cisticercose no homem torna-se muito grave.

A teníase, apresenta-se no homem sob duas formas:

a) uma infecção intestinal causada pela forma adulta da Taenia da carne de boi ou de porco, produzindo irritabilidade, insônia, emagrecimento, dores abdominais e distúrbios digestivos

b) uma doença grave, a cisticercose,que se dá quando o homem ingere os ovos da Taenia da carne de porco, que vão se desenvolvendo sob a forma de cisticercos em várias aprtes do corpo como: músculos, cérebro, coração, globo ocular, podendo sobrevir conseqüências graves (loucura, cegueira).

REGRAS PRÁTICAS PARA EVITAR A SOLITÁRIA

1ª) Não despejar fezes humanas em valas, riachos ou terrenos.
2ª) Construir fossas e sumidouros.

3ª) Não comer carne de porco ou de boi criados nas ruas.

4ª) Em caso de dúvida, cozinhar a carne muito bem.

5ª) Havendo suspeita de contaminação, procurar assistência médica para o tratamento adequado.

Apesar de serem muito comuns, as solitárias podem ser evitadas com higiene e fiscalização sanitária.

RELACÕES DESARMÔNICAS ENTRE PARASITA E HOSPEDEIRO (TAENIA E HOMEM)

A relação existente entre a Taenia e seu hospedeiro, o homem, é o que nós chamamos de parasitismo ou endoparasitismo. É uam relação entre duas espécies, em que uma se instala dentro ou sobre a outra alimentando-se da espécie hospedeira. Porém, geralmente, sem causar a sua morte.

CONCLUSÃO

As principais dificuldades de se erradicar a doença ocorrem devido às más condições de higiêne em que se encontram a maioria das famílias menos favorecidas, principalmente as do meio rural. Essas famílias vivem sem um saneamento básico, como uma rede de esgoto ou pelo menos condições mínimas de higiêne, como água potável por exemplo.
As crianças acabam sendo as mais prejudicadas por esse descaso das autoridades locais, pois, por elas serem mais descuidadas a respeito de higiêne pessoal, estão mais propícias a pegarem a doença, o que seria mais difícil se houvesse, por parte das pessoas competentes uma maior preocupação com esse tipo de problema.

Atualmente as autoridades vêm promovendo ações governamentais que tem como objetivo resolver problemas como este, que requerem além de um saneamento, uma conscientização por parte do governo, às pessoas menos instruídas, para que essas possam ser menos propícias a esse tipo de doença.

Esse saneamento consta de :

-tratamento de esgoto;

-tratamento do lixo;

-tratamento da água.

As estações de tratamento do esgoto previstas pelo governo contarão de uma canalização principal e de tanques de sedimentação, onde no final do processo a água vai para rios, lagos ou mares e o lodo é seco ao ar livre, podendo ser utilizado como adubo.

| voltar |