As Tartarugas Marinhas

As tartarugas marinhas constituem um antigo grupo de animais que se adaptaram a vida no mar a cerca de 100 milhões de anos. Incrivelmente, parece ser que sua forma e características de vida variaram muito pouco desde então, convertendo-se em verdaderiras recordações dos tempos dos dinossauros. Répteis adaptados ao mar, a vida no meio aquático influenciaram a evolução das tartarugas marinhas, desenvolveram grandes adaptações para adaptarsem no meio onde vivem.

Por exemplo, transformaram suas patas em remos, convertendo-as em potentes nadadoras. As nadadeiras dianteiras servem para impulso, as nadadeiras traseiras servem como leme para manobras dentro d'água. Suas carapaças aplanaram-se e seus corpos tornaram-se mais dinâmicos.

Também adaptaram-se fisiológicamente para o mar, assim, também respiram ar atmosférico na superfície do mar, desenvolveram complicados mecanismos para poder se manter submergidas por longos períodos de tempo em grandes profundidades.

Reprodução

Como todos os répteis, as tartarugas marinhas são ovíparas. Também passam sua vida na água, porém devem voltar a terra para depositar seus ovos. O ninho consiste em um buraco cavado na areia pela mãe, onde são depositados entre 50 a 200 ovos brancos e redondos. Após tampar o ninho, as tartarugas se dirigem para o mar novamente. Uma fêmea pode aninhar várias vezes durante um mesmo período de desova. Ao nascer, aproximadamente dois meses mais tarde, as tartarugas se dirigem diretamente para o mar. Ainda se desconhece com certeza o mecanismo utilizado pelas recém nascidas para guiar-se até a água. Tanto no trajeto, desde o ninho até a água, como dentro da água, uma grande parte das recém nascidas são devoradas por predadores.

As Tartarugas Marinhas na República Dominicana

 

Nas águas da República Dominicana existem as seguintes espécies de tartarugas marinhas:

Cabeçuda (Caretta caretta)

 

Tartaruga verde (Chelonia mydas)

Eretmochelys imbricata
Dermochelys coriacea

Se alimentam utilizando seus fortes e afiados bicos, os quais estão cobertos de um escudo córneo. Sua dieta depende da espécie, sendo a Cabeçuda e a Eretmochelys imbricata pricnipalmente carnívoras e alimentando-se de uma grande variedade de peixes e invertebrados marinhos; a tartaruga verde é principalmente herbívora e alimenta-se de algas e ervas marinhas; Dermochelys coriacea alimenta-se de pricipalmente de águas vivas e medusas mainhas.

Saiba mais: visite www.tamar.com.br

| voltar |